Dono da Tesla faz submarinos para resgate de rapazes na gruta da Tailândia

Elon Musk revelou que as cápsulas submarinas estão a ser testadas numa piscina em Los Angeles, nos EUA

image: dn.pt

 

O patrão da Tesla, o milionário Elon Musk, tem uma equipa de engenheiros a trabalhar numas cápsulas submarinas que poderão ser usadas no resgate dos oito rapazes que continuam presos numa gruta na Tailândia.

Musk mostrou na sua conta na rede social Twitter os aparelhos que estão a ser testados numa piscina em Los Angeles, nos Estados Unidos.

As cápsulas metálicas têm entradas de oxigénio à frente e na retaguarda, mas, devido ao seu tamanho, só poderiam transportar os jovens jogadores de futebol. O seu treinador teria de sair pelos seus próprios meios.

Segundo o plano de Musk, dois mergulhadores especializados levariam uma cápsula com um jovem no seu interior. A cápsula tem várias pegas às quais se ajustam correias que os mergulhadores atariam à cintura.

O uso destas cápsulas, que poderiam ser enviadas em poucas horas para a gruta Tham Luang, na província de Chiang Rai, no Norte da Tailândia, é um ‘plano b’ para o caso de a gruta se inundar ou de algum dos menores não ser capaz de sair pelos seus próprios meios.

Musk tmbém desenvolveu um espécie de sacos de ar que permitiriam tirar os rapazes sem terem necessidade de aprender a mergulhar. Os sacos de ar foram criados por uma empresa americana chamada Wing Inflatables, e a encomenda foi-lhes feita diretamente por Musk.

Já foram enviados para a Tailândia e circulavam na internet imagens que pareciam de um salvamento, embora sem certeza – uma vez que as imagens estão proibidas à volta do salvamento.

O mini-submarino foi acabado ontem e realizado pela Space X, a empresa espacial de Musk, que trabalhou em conjunto com os engenheiros da Tesla e da Boring Company – a novíssima empresa de tuneis de Musk.

Este domingo, depois de as equipas de socorro terem resgatado quatro dos 12 rapazes, as autoridades tailandesas optaram por suspender até segunda-feira os trabalhos para substituir as garrafas de ar comprimido e avaliar a nova fase das operações.

Na gruta, além de oito jovens, está também o seu treinador de futebol.

Os jogadores, com idades entre os 11 e os 16 anos, e o seu treinador, de 25 anos, fazem parte da equipa Wild Boars e ficaram presos na gruta depois de a terem ido explorar após um jogo de futebol em 23 de junho.

Na altura, as inundações resultantes das monções bloquearam-lhes a saída e impediram que as equipas de resgate os encontrassem durante nove dias, uma vez que o acesso ao local só é possível via mergulho através de túneis escuros e estreitos, cheios de água turva e correntes fortes.

Nas operações de socorro participam 90 mergulhadores (40 tailandeses e 50 estrangeiros).

O local onde os jogadores e o treinador ficaram presos situa-se a cerca de quatro quilómetros da entrada da gruta, num complexo de túneis com zonas muito estreitas e alagadas pelas chuvas da monção que afetam a zona, o que obriga a que parte do percurso tenha de ser feito debaixo de água e sem visibilidade.

A gruta Tham Luang situa-se na província de Chiang Rai, no Norte da Tailândia, junto à fronteira com Myanmar (antiga Birmânia) e o Laos.

Source :

dn

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


1 × 1 =