Ex-funcionários do setor de saúde do Estado denunciam falta de pagamento de salários no Maranhão

Source: Internet

 

Trabalhadores de empresas prestadoras de serviços ao Estado na área da saúde reclamam do atraso no pagamento de salários e outros benefícios. Segundo o Sindicato dos Trabalhadores da Área de Saúde do Maranhão (SINDSAÚDE), enquanto investigações da Polícia Federal mostram o pagamento extra de salários a servidores públicos e até funcionários fantasmas na área da saúde, empresas terceirizadas da rede estadual devem indenizações trabalhistas para mais de 8 mil empregados.

De acordo com Dulce Mary , presidente do SINDSAÚDE/MA, os funcionários deixaram de receber 13º salário, férias e até a indenização por tempo de serviço quando foram recontratados pelas empresas que substituíram as que perderam contrato com o estado nos últimos dois anos. O motivo seria a falta de fiscalização de contratos.

“Cada vez que acontece isso, onde não há uma fiscalização do Estado em relação a esses contratos, ficam milhares de trabalhadores, não só da enfermagem, mas da saúde em geral, no contrato precário. Ou seja, apenas um salário, sem mais nada. Esses trabalhadores estão há anos sem saber o que é férias”, declarou.

Segundo o SINDSAÚDE, empresas terceirizadas da rede estadual devem indenizações trabalhistas para mais de 8 mil empregados. (Foto: Reprodução/TV Mirante)

Ainda segundo o sindicato, uma das maiores devedoras é o Instituto de Cidadania e Natureza (ICN), que está envolvida no esquema de desvio de verbas da saúde. Segundo a Polícia Federal, a empresa era responsável pelo pagamento de salários extras a funcionários de empresas tercerizadas e até servidores da Secretaria de Saúde do Estado. O diretor do ICN, Benedito Silva Carvalho, chegou a ser preso na “operação pegadores”, semana passada. Benedito foi solto por causa do estado de saúde. Ele tem câncer e diabetes.

Após a descoberta de que funcionários ganharam dinheiro extra, esses trabalhadores da área de saúde do Maranhão ficaram revoltados, de acordo com o sindicato. Segundo Dulce Mary, cerca de 2 mil profissionais entraram com ações individuais na justiça contra o estado e as empresas tercerizadas para exigir o pagamento de direitos trabalhistas, mas afirma ser uma luta difícil de se vencer.

“É salário, é férias, é décimo, é FGTS… enfim, tudo o que compõe as verbas rescisórias. O trabalhador, se quiser, precisa ajuizar uma ação para tentar receber, porque a ICN sumiu. Então a demanda é diretamente contra o Estado e hoje todo mundo sabe que uma demanda contra o Estado é coisa mais difícil de se conseguir retorno”, declarou a presidende do SINDSAÚDE/MA,

A Secretaria de Estado da Saúde informou que aguarda a apuração e relatório final da polícia federal para adotar as medidas legais de ressarcimento do recurso público pertinente ao caso.

Source :

Globo

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


two − 1 =