Novo Banco emite 400 milhões de obrigações e lança operação de troca

O Novo Banco agendou sessões com investidores em Lisboa e Londres para explicar uma nova emissão de obrigações. Quem tenha obrigações sénior pode vendê-las e comprar na nova emissão

FOTO José carlos santos

 

Novo Banco inicia esta sexta-feira um roadshow para emissão de até 400 milhões de euros de dívida subordinada, assim como uma oferta de aquisição e de troca de obrigações sénior do grupo. O banco agendou sessões com investidores institucionais em Lisboa e Londres, dando assim cumprimento ao compromisso assumido com Bruxelas aquando da venda de 75% do capital do Novo Banco, em Outubro de 2017, à Lone Star.

A operação que hoje será apresenta concede prioridade à troca de obrigações sénior (valor mínimo indicativo de 250 milhões de euros), com um adicional em dinheiro para detentores de obrigações cuja procura exceda a oferta e a colocação em mercado das restantes obrigações, com um montante mínimo de 100 milhões de euros.

O NB avisa que “não pretende efetuar mais recompras de obrigações sénior através de operações ‘open market’, ofertas de aquisição ou ofertas de troca das obrigações sénior nos próximos 24 meses”. Significa isto que quem tenha dívida subordinada tem aqui uma última janela para recompor a carteira.

Otimizar os rácios e estrutura de capital

A troca das obrigações sénior por instrumentos de dívida subordinada e a aquisição dessas obrigações permitirá o Novo Banco “melhorar sua estrutura de capitais, otimizando os seus rácios de total capital (Tier 2) e ajustar a sua estrutura de financiamento com redução de encargos com juros”, assinala o banco presidido por António Ramalho.

A operação terá o montante de troca definido a 28 de junho e será concluída no dia seguinte.

O Novo Banco anunciou ainda que não pretende efetuar mais recompras de obrigações sénior através deste tipo de operações(open market), ofertas de aquisição ou ofertas de troca nos próximos 24 meses.

A oferta confere, assim, aos detentores das obrigações que sejam elegíveis “uma alternativa de liquidez antes da data de maturidade das obrigações abrangidas pela oferta e a oportunidade de reinvestimento em novos instrumentos de dívida subordinada” a ser emitida pelo banco.

O anúncio na semana em que a Caixa colocou no mercado 500 milhões de euros em obrigações subordinadas junto de investidores internacionais, fechando assim o plano de capitalização traçado por Bruxelas no ano passado.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


one × four =