Pyongyang diz que manobras conjuntas dos EUA e da Coreia do Sul podem levar a ‘guerra nuclear’

Source: Internet

 

Coreia do Norte classificou como “belicistas” Estados Unidos e Coreia do Sul neste domingo (3), na véspera do início de suas manobras aéreas conjuntas mais importantes até agora.

O exercício “Vigilant Ace”, que mobilizará cerca de 230 aviões, entre eles caças invisíveis F-22 Raptor, começa nesta segunda-feira (4) e vai durar cinco dias. Será realizado apenas poucos dias depois de o regime norte-coreano ter testado um míssil balístico intercontinental (ICBM). O artefato teria capacidade de atingir os Estados Unidos.

O jornal Rodong do Partido único no poder na Coreia do Norte denunciou essas manobras.

“É uma provocação aberta, em todos os níveis, contra a Coreia do Norte, que poderia levar a uma guerra nuclear a qualquer momento”, afirma o jornal em seu editorial.

“Os belicistas americanos e sua marionete sul-coreana fariam melhor em lembrar que seu exercício militar dirigido contra a Coreia do Norte será tão estúpido quanto um ato para precipitar sua autodestruição”, acrescentou.

No sábado, o Ministério norte-coreano das Relações Exteriores acusou a administração de Donald Trump de “querer a guerra nuclear a qualquer custo” com essa simulação aérea.

Recentemente, o conselheiro de Segurança Nacional, H.R. McMaster, considerou que a possibilidade de uma guerra com a Coreia do Norte se reforçava.

“Acredito que aumenta cada dia, o que significa […] que estamos em um corrida para solucionar o problema”, disse ele, durante um foro.

“Há maneiras de enfrentar esse problema fora de um conflito armado, mas é uma corrida, porque se aproxima cada vez mais [da chegada]. Não resta muito tempo”, advertiu.

Lançamento

O anúncio do lançamento foi feito na terça-feira (28) pela agência Yonhap News, da Coreia do Sul.

De acordo com o Pentágono, uma avaliação inicial indica que se trata de um míssil balístico intercontinental (ICBM), que voou por mil quilômetros até cair no Mar do Japão.

O órgão militar americano afirmou que o disparo não representou uma ameaça aos EUA, seus territórios ou aliados, mas atingiu maior altitude do que todos os disparos anteriores realizados pelo país.

O míssil, que foi disparado na terça no Mar de Japão, voou mais de 900 km alcançando mais de 4.000 km de altitude, o que representa a máxima altura atingida até o momento por um projétil norte-coreano e indica um novo e perigoso avanço para o programa de armas do regime.

Source :

Globo

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


2 × 3 =