Qual a mais recente alteração na política de preços de combustíveis

Source: Internet

 

A Petrobras divulga periodicamente as mudanças no preço dos combustíveis no Brasil, mas o mais recente anúncio, na segunda-feira (19), foi diferente dos anteriores. A petroleira, que sempre usou a variação percentual nos comunicados, divulgou o preço praticado nas refinarias em reais.

O litro de gasolina nas refinarias passa a custar pouco mais de R$ 1,51 – na semana anterior o preço era R$ 1,48. Esse preço é uma média nacional do valor do litro de combustível ao sair das refinarias. Não entram aí os impostos cobrados sobre os combustíveis e outros custos da cadeia de produção.

A mudança na forma de divulgação acontece depois que o governo pediu ao Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica ) que investigue um suposto cartel de postos de gasolina que não repassaria reduções de preço aos consumidores.

Como é definido o preço dos combustíveis

A Petrobras tem um controle informal sobre o preço dos combustíveis no Brasil. Oficialmente, o preço é livremente definido pelo mercado, mas a estatal tem praticamente um monopólio em uma das etapas de produção: o refino.

Assim, o preço que a estatal define para o combustível recém refinado é a base para todos os preços no país. Antes do tanque, a gasolina e o diesel passam ainda por distribuidoras e pelos postos de gasolina. Ao preço básico das refinarias, se somam os impostos e todos os custos das empresas envolvidas na distribuição e venda – além dos lucros.

Desde que Michel Temer mudou a diretoria da Petrobras, o preço dos combustíveis no Brasil acompanha o mercado internacional de petróleo. No governo Dilma Rousseff, principalmente no primeiro mandato, a Petrobras manteve os preços abaixo do mercado internacional como medida de incentivo à economia e para segurar a inflação. Por um lado, isso manteve a gasolina barata. Por outro, gerou grande prejuízo à Petrobras.

O preço em reais

Desde que a Petrobras mudou a política de preços, o valor cobrado nos postos de gasolina no Brasil aumentou bastante.

A política foi oficialmente implantada em outubro de 2016, quando a gasolina, nos postos, custava R$ 3,69. A cotação mais recente mostra que o litro, em média, está em R$ 4,23. A diferença no período é de R$ 0,54, ou 14,6%.

Quando se olha a variação dos preços nas refinarias, o panorama é diferente. A Petrobras argumenta que apenas um sexto do aumento ao consumidor é resultado da mudança de preços na refinaria. Segundo a estatal, entre outubro de 2016 e fevereiro de 2018, a gasolina na refinaria aumentou R$ 0,09 – ou 6,34%. O restante do aumento seria resultado, então, de reajustes em outras fases da cadeia de produção.

Agora que divulga a variação de preços em porcentagem, a Petrobras espera combater os aumentos exagerados ao consumidor e garantir que reduções também sejam repassadas. Em nota, porém, a estatal frisou que os revendedores são livres para definir seus preços. “Essa mudança dá mais transparência à composição do preço final dos combustíveis”, diz o comunicado da empresa.

Source :

Nexo

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


4 × 1 =