CAEMA promete normalizar abastecimento de água até esta quarta-feira (13) em São Luís

Source: Internet

 

Em nota ao G1, a CAEMA informou que aguarda o resultado da perícia técnica no equipamento em forma de Y. Somente com os laudos disponíveis, a Companhia poderá fazer nova avaliação para definir o prazo de entrega da nova adutora.

Em relação a falta de água, a CAEMA tambem informou que o abastecimento deve ser normalizado até amanhã (13). Segundo a companhia, no momento a antiga adutora está em pleno funcionamento desde a segunda-feira (11) para atender os setores abastecidos pelo Sistema Italuís.

Durante toda esta terça-feira (12), muitos ludovicenses precisaram trabalhar bastante para garantir água em casa. No bairro Anjo da Guarda, um poço localizado na casa do professor Regivan Moraes foi a alternativa utilizada pela vizinhança. Segundo ele, o “chafariz” sempre foi o meio usado para ter água em dias de escassez.

“Eu já moro aqui há mais de 25 anos, só que o que abastece a gente quando falta água é esse chafariz antigo. A gente só tem ele por aqui mesmo”, afirmou Regivan.

Em relação ao bairro Anjo da Guarda, a Caema esclareceu em nota ao G1 que o Sistema teve o bombeamento reiniciado às 13h30. O abastecimento, a partir daí, é feito gradativamente, chegando primeiro nas partes mais baixas, e posteriormente nas mais altas.

Prejuízos

Segundo a Defensoria Pública do Maranhão, por meio do Núcleo de Defesa do consumidor, foi enviado um ofício para a CAEMA a fim de que a Companhia apresente esclarecimentos em até 24 horas. Segundo o defensor Público Lúcio Otávio, o documento também determina que a empresa faça o abatimento proporcional dos dias em que não houve abastecimento nas contas de água dos ludovicenses.

“Os prejuízos poderão ser requeridos em eventual ação civil pública que poderá ser promovido pelo núcleo de defesa do consumidor para buscar uma condenação da empresa por danos morais coletivos, como também a tutela das indenizações a todos os consumidores lesados. Vale salientar que, conforme dados extraídos do próprio site da CAEMA, essa paralização teria prejudicado 159 bairros no município de São Luís e isso equivale a, aproximadamente, 600 mil pessoas afetadas”,, declarou o defensor.

Source :

Globo

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


18 + six =