TJ concede habeas corpus aos outros réus na Operação ‘Poseidon’ em Uberlândia

Image: Ascom/Dmae

 

O servidor público Manoel Calhau Neto, o engenheiro João Paulo Voss, o diretor-técnico do Departamento Municipal de Água e Esgoto de Uberlândia (Dmae), Carlos Henrique Lamounier Borges, e o ex-diretor geral da autarquia, Epaminondas Honorato Mendes, foram denunciados pelo Ministério Público Estadual (MPE) e cumpriam prisão preventiva em Uberlândia desde fevereiro.

Um dos advogados que representa os réus, Gabriel Massote, informou ao G1 que os alvarás de soltura foram cumpridos no Presídio Professor Jacy de Assis ainda na noite desta quarta, por volta das 23h30. De acordo com a defesa, o Tribunal entendeu que as prisões eram desnecessárias e ilegais.

A operação do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) ocorreu em fevereiro e investigou supostas irregularidades em três contratos firmados entre a empresa Araguaia Engenharia e o Departamento Municipal de Água e Esgoto de Uberlândia (Dmae).

Segundo a Promotoria de Justiça, os servidores teriam favorecido a construtora que passava por problemas financeiros em um esquema com desvio de recursos públicos superior a R$ 8 milhões.

Durante a primeira fase foram presos o ex-servidor do Dmae e que atualmente ocupava cargo na Secretaria de Obras, Manoel Calhau, o presidente da Araguaia Engenharia na época dos fatos, Daniel Vasconcelos, e o engenheiro da empresa João Paulo Voss.

Já na segunda fase, os pedidos de prisão feitos pelo Ministério Público foram deferidos em desfavor do diretor-geral adjunto e ex-vereador da cidade, David Thomaz Neto, do diretor-técnico do Dmae, Carlos Lamounier, e contra o ex-diretor geral do departamento em 2012, Epaminondas Honorato Mendes. David e Daniel já haviam sido soltos na última semana também sob ordem de habeas corpus.

Source :

Globo

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


twelve − 7 =